2011/07/24

Dados confirmam que cultivo de morango cresce cada vez mais na agricultura familiar

Histórico vai mostrar porque a afirmativa é verdadeira em workshop no Congresso Brasileiro de Olericultura

A expansão do plantio de morango nos últimos 52 anos no país e em Minas Gerais vem comprovando que esta é uma atividade bastante viável para a agricultura familiar, uma vez que gera muitos empregos e renda no campo. “A mão de obra pode vir da própria família e os gastos com a produção podem ser compensados por esta ser uma fruta bem valorizada no mercado, o que garante bom retorno financeiro”, explica o engenheiro agrônomo Sérgio Carvalho, coordenador estadual de Fruticultura da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).
Na próxima quarta-feira, dia 27 de julho, Carvalho participa do workshop Cultivo do Morango, dentro da programação do 51ª Congresso Brasileiro de Olericultura, evento que acontecerá no período de 25 a 29 de julho, em Viçosa. Na ocasião, o coordenador vai ministrar palestra sobre a evolução histórica do cultivo de morango nos últimos 52 anos. Em levantamento realizado sobre o assunto, o agrônomo apurou dados que confirmam o crescimento da cultura neste mais de meio século, no país e no Estado mineiro.
Entre as informações coletadas pelo coordenador da Emater-MG, Minas Gerais aparece como o maior produtor do país, com 72 mil toneladas em 1.790 hectares. O Estado responde por quase 55% da produção nacional, gera aproximadamente 26 mil empregos e envolve 5.900 produtores na atividade. No país a produção total do morango alcança 133 mil toneladas e ocupa 3.718 hectares de área ocupada. A trajetória de crescimento da cultura teve início em 1958, quando horticultores do Sul mineiro, que vendiam hortaliças em São Paulo, trouxeram mudas e plantaram na comunidade Vale do Rio do Peixe, em Estiva, introduzindo no Estado as primeiras variedades da fruta.
Hoje, com a introdução de variedades mais resistentes, utilização de novas tecnologias e os avanços da comercialização, o cultivo de morango também ganhou grande impulso no país. Sérgio Carvalho conta que as primeiras plantações surgiram nos quintais de São Paulo, mas hoje podem ser encontradas em 106 municípios brasileiros, localizados nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Para surpresa do agrônomo da Emater-MG, neste último, 1.400 produtores se dedicam à cultura. Em Minas, de acordo o coordenador, 30 municípios das regiões Sul, Zona da Mata, Alto Paranaíba e Vale do Jequitinhonha produzem morango. A pesquisa aponta ainda que, 60% do morango produzido do país são oriundos da agricultura familiar. E que, no Brasil, nos últimos cinco anos, a área plantada cresceu 6% e a produção 33%.
Sobre as dificuldades que o cultivo de morango ainda enfrenta, o coordenador a Emater-MG afirma que é preciso avançar nos trabalhos de redução do uso de agrotóxico nas lavouras; incentivar a agregação de valor do morango, como por exemplo, adotar o congelamento da polpa para não deixar o produto faltar no mercado em épocas de baixa produção. Sérgio aponta ainda, que é preciso melhorar a imagem da fruta junto ao público consumidor. “O morango ainda é muito associado à contaminação por agrotóxico, mas hoje a situação é bem diferente de anos atrás. Existe um maior controle do uso destes produtos pelos órgãos de vigilância como o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA)”, garante.

Um comentário:

  1. Nossa é o João Vitor e isso foi em 2008 e é no bairro Ponte Alta em carvalhos

    ResponderExcluir

SEJA BEM VINDO

Prezado amigo(a), para nós é uma satisfação a sua visita em nosso blog. Este blog é uma amostra das matérias que circula no Jornal Sul Mineiro. Nas coberturas do Sul Mineiro sempre daremos uma nota aqui. O Jornal Sul Mineiro, Turismo, Negócios e Informações, está na região desde de 2002, ou seja, 10 anos, fazendo um trabalho transparente, honesto e com credibilidade. Tive ao meu lado a minha filha Juliana que foi minha Secretária no início que me ajudou muito. Hoje conto com o apoio enorme da minha esposa Rosy que é Secretária Executiva. O jornal nestes 10 anos sobreviveu graças o apoio das Prefeituras, Câmaras Municipais e Comerciantes, pois o Sul Mineiro é distribuído gratuitamente aos leitores. Sempre procuramos oferecer nossos serviços com transparência e honestidade. Por isso agradecemos sua visita e pedimos que sempre dê uma olhadinha em nosso blog para conferir as novidades.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
BAEPENDI, sudeste/Minas Gerais, Brazil
LOJA DE NOIVA COMPLETA
Ocorreu um erro neste gadget