2013/05/30

FENAMILHO 2013: ENTREGA DA 22ª COMENDA “ANTÔNIO SECUNDINO DE SÃO JOSÉ” E 32° FESTIVAL DE PRATOS TÍPICOS COM MILHO ABREM O EVENTO

Começou nessa terça-feira, 21, a 55ª Festa Nacional do Milho (Fenamilho), em Patos de Minas. E para abrir o evento foram realizadas a cerimônia de entrega da 22ª Comenda “Antônio Secundino de São José” e o 32° Festival de Pratos Típicos com Milho, promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG). Um dos homenageados com a Comenda foi o gerente Regional da Emater–MG, Sérgio Glicério, que recebeu a agraciação no título “Médico-veterinário”. Estiveram presentes na cerimônia de abertura o governador em exercício de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, o presidente da Emater–MG, José Ricardo Roseno, o Prefeito de Patos de Minas, Pedro Lucas Rodrigues, e o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Cládio Nasser de Carvalho, entre outras autoridades. De acordo com Sérgio, receber a comenda é um reconhecimento e valorização do trabalho realizado por toda equipe da Emater–MG. “Entendo que este é o reconhecimento ao trabalho de todos os nossos colegas da Empresa, que a cada dia se empenham no desenvolvimento dos agricultores familiares e em busca do fortalecimento do setor em Minas Gerais”, disse. Criada em 1991, pelo Governo do Estado, a comenda “Antônio Secundino de São José” é entregue anualmente a personalidades e instituições que prestaram relevantes serviços no setor agropecuário e na preservação do meio ambiente. A solenidade, que acontece sempre na Fenamilho, tem importante repercussão. Em seu pronunciamento, o presidente José Ricardo Roseno destacou a importância da Feira. “ A Fenamilho é síntese da união de esforços de produtores, Governo e instituições para o alcance da excelência na produção, geração de novos negócios, empregos e renda. É por compartilhar desses objetivos que a Emater–MG participa e apoia diversas ações na programação da feira. A assistência técnica e extensão rural do Estado se fazem presentes onde está o produtor rural, onde estão seus interesses e real possibilidade de agregação de valor aos produtos e atividades, a fim de colaborar para o desenvolvimento com sustentabilidade”, afirmou. Através de uma realização da Emater–MG, o Festival de Pratos Típicos incentiva a participação de moradoras da região na confecção de receitas à base de milho. Três pratos de destaques foram homenageados com o Prêmio Lusmar Costa, nome da falecida extensionista da Emater–MG, idealizadora do projeto, criado em 1980. As vencedoras são: Ilda de Fátima Pereira, Dalva Alves e Dagma Peres. Os prêmios foram entregues pelo governador em Exercício e pelo presidente da Emater–MG. O 55ª Festa Nacional do Milho vai até o dia 02 de junho e é realizada através de uma parceria entre a Prefeitura de Patos de Minas e o Sindicato dos Produtores Ruais. A programação também conta com o Espaço da Agricultura Familiar, Circuito da Agricultura Familiar, Feira de Tourinhos do Pró-Genética, 36º Encontro Regional da Mulher do Campo e diversas atrações culturais.

IMA incentiva o desenvolvimento da agroindústria familiar em Minas

A agricultura familiar é responsável pela produção de grande parte dos alimentos consumidos, sendo um importante segmento agropecuário de Minas Gerais. Pensando nisso, 25 agroindústrias familiares estão cadastradas no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e a meta é regularizar mais 200 até o final deste ano. Os cadastros, iniciados em janeiro, são feitos através do Projeto de Educação Sanitária e Apoio a Agroindústria Familiar, executado pelo IMA através de convênio firmado com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Representando a área de pescados, a primeira agroindústria que produz Truta a ser cadastrada está localizada em Itamonte (Região Sul). É a única em Minas voltada para a criação dessa espécie de peixe devido à altitude privilegiada do município. Além disso, o IMA já cadastrou agroindústria de ovos, em Oliveira (Região Centro-Oeste) e outra que produz mel, em Itueta (Rio Doce). Esses estabelecimentos são exemplos que comprovam a diversidade de alimentos produzidos pelos produtores mineiros. O diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, destaca a importância da regularização e desenvolvimento deste setor. “É necessário dar credibilidade a esses estabelecimentos através da formalização da agricultura familiar, o que beneficia não só os produtores, mas os consumidores finais,” O convênio firmado entre IMA e MDA, em 2012, visa apoiar a inclusão dos agricultores familiares aos processos de agro industrialização da produção, gerando mais emprego e rentabilidade, a partir da oferta de produtos de origem animal regularizados, informa o gerente da área do IMA, Gilson de Assis Sales. “As agroindústrias cadastradas ficam aptas a comercializarem seus produtos dentro de Minas Gerais, incluindo o atendimento ao Programa de Alimentação Escolar por meio da Lei Federal n° 11.947/2009. A legislação determina que 30% dos gêneros alimentícios consumidos na alimentação escolar sejam provenientes de agricultores familiares. Essa é uma motivação para os produtores buscarem cada vez mais a regularização de seus estabelecimentos”, conclui. O produtor Marcelo Brandão, do município de Lambari, comemora o fato de ser cadastrado no IMA. Com uma produção média de 800 litros de iogurte por semana, consegue distribuir seus produtos para abastecer a merenda de duas escolas de sua região. “O mais importante é que através da regularização junto ao Instituto, meu estabelecimento saiu da informalidade e agora comercializo para outros municípios” explica. Fomento a agroindústria Para impulsionar ainda mais o crescimento deste setor e estimular a regularização, a Associação Mineira de Municípios (AMM) e a Secretaria de Estado de Agricultura de Minas Gerais (SEAPA), por meio do IMA, assinaram neste mês de maio, um termo de cooperação técnica que visa impulsionar ainda mais o desenvolvimento da agricultura familiar nos municípios mineiros, através da criação de consórcios intermunicipais para a produção, manutenção e comercialização de alimentos de origem animal. Agência Minas acesse para mais notícias do Governo de Minas Gerais Acesse a Galeria de Fotos do Governo de Minas Acompanhe também no www.youtube.com/governodeminasgerais

Começa hoje a 53a Exposição Estadual Agropecuária

Evento faz parte da Superagro 2013 O evento será aberto com a tradicional Exposição Estadual Agropecuária, com julgamento do Guzerá Leiteiro. Por dois dias serão julgados cerca de 160 animais para, ao final, os juízes chegarem ao exemplar que mais se aproxima do padrão da raça. Também compõem a Superagro a Expocachaça, Expovet, Vila da Agricultura Familiar, Minifazenda e Via Láctea. Além disso, durante o evento serão realizados o II Seminário Nacional de Agricultura Irrigada e Desenvolvimento Sustentável e o Seminário Internacional sobre Indicações Geográficas de Queijo Artesanal. A grade de programação conta, ainda, com o Projeto Balde Cheio, da Faemg, e o Seminário Apícola, do Sebrae em parceria com a Femap-MG.

SRS/PA realiza Oficina de Descentralização das Ações de Vigilância Sanitária

Nesta semana, a Superintendência Regional de Saúde de Pouso Alegre (SRS/PA) realizou a primeira etapa do Encontro para Descentralização das Ações de Vigilância Sanitária dos municípios que assumiram o Elenco 1 do projeto de fortalecimento de Vigilância em Saúde. A Oficina, que teve a abertura realizada pelo Superintendente da SRS, Gilberto de Carvalho Teixeira, e foi organizada pela Coordenadoria da Vigilância Sanitária da Superintendência, teve como objetivo, nesta primeira etapa, orientar os fiscais sanitários de 22 municípios da jurisdição da SRS em relação `as inspeções sanitárias em alguns estabelecimentos. Nos dias 6 e 7 de junho, haverá outra oficina, quando serão orientado os fiscais dos outros 21 municípios da jurisdição da Superintendência Regional de Saúde de Pouso Alegre. Tendo em vista que os objetivos da Vigilância são promover a segurança sanitária dos serviços oferecidos à população e monitorar e avaliar a qualidade dos serviços de saúde e de interesse da saúde, alguns estabelecimentos, que antes eram vistoriados pela Vigilância Sanitária da Superintendência, a partir de agora serão inspecionados pelos fiscais sanitários municipais, gerando maior efetividade e agilidade das ações. Os Serviços de Saúde são aqueles que são destinados a promover, proteger e recuperar a saúde do indivíduo, como os oferecidos por Hospitais, Clínicas, Bancos de Sangue, Unidades Básicas de Saúde, Laboratórios, Posto de Coleta, Serviços de Fisioterapia e de RX, entre outros. Já os Serviços de Interesse da Saúde exercem atividades que, direta ou indiretamente, podem gerar benefícios ou danos à saúde, a exemplo dos oferecidos pelos salões de beleza, clubes, academias, creches, comunidades terapêuticas, asilos, drogarias, distribuidoras, posto de medicamentos, indústria de alimentos, comércio de alimentos, casas de apoio e academias.

2013/05/15

II Encontro Alfa Romeo reunirá em Caxambu os apaixonados pela marca italiana

De 30 de maio a 02 de junho, a cidade de Caxambu, no sul de Minas Gerais, sediará o II Encontro Alfa Romeo, evento que reunirá os alfisti (nome em italiano dado aos apaixonados pela marca) de todo o Brasil. Promovido pelo Alfa Romeo Clube MG, representante regional do grupo Alfa Romeo Br - maior grupo alfista do Brasil, o evento será realizado no Parque das Águas, maior atração turística da cidade de Caxambu e no Hotel Glória. A primeira edição do encontro foi realizada em 2011 e reuniu aproximadamente 80 carros. Segundo o presidente do Alfa Romeo Clube MG, Túlio Silva, o encontro tem como objetivo promover um momento de confraternização e troca de experiências dos proprietários da tradicional marca italiana que desperta paixão em todo o mundo. “Sozinhos ou em um grupo, os alfisti chegam a Caxambu pilotando seus veículos, de variados modelos e anos de fabricação. É um evento direcionado aos aficionados pela marca e também àqueles interessados em admirar o design e a esportividade dos modelos, bem como a tradição histórica existente”, diz. Na programação, exposição de carros e caminhões no Parque das Águas, mercado de pulgas, sessão de autógrafos do livro Alfa Romeo, palestras técnicas abordando temas como boas práticas e manutenção de pneus e óleo lubrificante, novidades tecnológicas e estatísticas, apresentação de vídeos históricos, exposição especial de carros à venda, estande do clube com vendas de souvenirs, jantares e festas. O evento dará início às comemorações dos 40 anos do modelo Alfa Romeo 2300, que será em 2014. Haverá ainda uma homenagem ao querido antigomobilista e fundador do Alfa Romeo Clube do Brasil, Fábio Steinbruch, que faleceu no ano passado. E também ao piloto e mecânico Oswaldo Barros, espelho do cuore sportivo com uma vida dedicada à marca Alfa Romeo. O primeiro carro fabricado pela marca foi o modelo 24 HP, de 1910. A Alfa Romeo comemorou o centenário da marca em 2010, com grande festa que reuniu aproxidamente 3500 veículos da marca em Milão, na Itália. “A Alfa Romeo é referência no meio automobilístico na utilização de inovações tecnológicas, com a transferência da tecnologia das pistas de competição, onde é uma das principais vencedoras, para suas máquinas”, diz. Serviço II Encontro Alfa Romeo Data: 30 de maio a 02 de junho Local: Caxambu (MG) Inscrições e programação no site http://www.arcmg.com.br/caxambu Mais informações: (31) 9989-5171 ou faleconosco@arcmg.com.br Clarice Mendes (31) 3211.7520 | (31) 9111.1713

2013/05/14

AGU propõe ações contra ex-prefeitos cassados no Sul de MG

AGU propõe ações contra ex-prefeitos cassados no Sul de MG Entre os municípios estão Nepomuceno, Baependi e Serranos. Políticos terão que arcar com despesas de eleições extras. Do G1 Sul de Minas Comente agoraA Advocacia Geral da União (AGU) propôs ações contra ex-prefeitos cassados por irregularidades em três municípios do Sul de Minas onde houve a necessidade de novas eleições. Entre as cidades estão Nepomuceno (MG), Baependi (MG) e Serranos (MG). Os ex-prefeitos terão que arcar com o que foi gasto nas eleições extras que ocorreram após o afastamento deles. Prefeito de Nepomuceno de 2005 a 2008, José Silvio de Carvalho teve o mandato cassado quando foi reeleito em 2009. Segundo a Justiça, ele fez doações de cestas básicas, o que caracteriza compra de votos. Com a cassação, o ex-prefeito paga hoje uma multa de cerca de R$ 20 mil. No entanto, desde o mês passado, os gastos aumentaram, já que ele tem que arcar com as despesas das eleições que aconteceram depois de ser afastado do cargo. O valor chega a pouco mais de R$ 19 mil e foi negociado em 30 parcelas. O ex-prefeito de Baependi, Cláudio de Carvalho Rollo, teve o mandato cassado em 2011 por ter doado lotes em troca de votos, segundo a Justiça. Ele também deverá pagar pelos gastos das novas eleições. O terceiro caso da região envolvendo o ex-prefeito José Landim de Miranda, cassado em 2005 em Serranos. De acordo com o procurador da União, Rafael Perroni, a ação que propõe a cobrança dos gastos com as eleições suplementares realizadas, em 2006, ainda não foi julgada. Ela está em fase de recurso no Tribunal Regional Federal. Segundo a AGU, Minas Gerais é o estado com o maior número de casos. Em todo o estado são 21 ações contra ex-prefeitos, valor que ultrapassa R$ 280 mil.

2013/05/13

Criminosos disparam tiros durante assalto a posto de combustíveis.

Um posto de combustíveis que fica às margens da BR-267 foi assaltado durante a madrugada desta terça-feira (7) próximo a Conceição do Rio Verde (MG). Segundo a Polícia Rodoviária Federal, dois homens armados com revólver calibre 38 chegaram a pé e renderam o frentista, que estava no posto de combustíveis. Em seguida, ele foi obrigado a entrar no restaurante, onde os criminosos renderam mais três clientes e outros três funcionários. Os assaltantes fugiram levando a quantia de R$ 300 do restaurante e do posto de combustíveis. A dupla usava capuz e óculos escuros. Durante a ação, os assaltantes dispararam dois tiros dentro do restaurante e um do lado de fora, na área do posto de gasolina. Os tiros foram disparados contra o chão do estabelecimento. Segundo a PRF, uma das vítimas informou que um carro dava apoio à ação dos bandidos. A polícia fez buscas na região, mas por enquanto ninguém foi preso. Fonte G1 Sul de Minas

Jovem de 16 anos é morta pelo namorado em Passa Quatro .

Jovem foi morta pelas costas em Passa Quatro. (Foto: Reprodução EPTV)Dois jovens morreram na noite de quinta-feira (9) após uma discussão em Passa Quatro, no Sul de Minas. Segundo a Polícia Militar (PM), Tauane Lorrane Ribeiro de Carvalho, de 16 anos e Jeferson de Souza, de 22, estavam separados, mas o ex-namorado estaria inconformado e foi atrás da adolescente em uma lan house próxima à casa da jovem, no bairro Dona Lola. O casal teria discutido e Tauane se lavantou para ir embora, mas o ex-namorado correu atrás dela atirou cinco vezes contra a adolescente. Conforme a PM, um dos disparos atingiu as costas da jovem. Em seguida, Jeferson foi embora e a dois quarteirões de distância da lan house, ele atirou na própria cabeça.Ainda conforme a PM, os jovens chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos. Taune foi encaminhada à Santa Casa de Passa Quatro, mas chegou ao hospital morta. Já Jeferson morreu em uma unidade de saúde do município na madrugada desta sexta-feira (10). De acordo com os militares, Jeferson já cumpriu pena por tráfico de drogas em Poços de Caldas, também no Sul de Minas. Além disso, o jovem já foi processado pela mesma acusação e também por estelionato. A PM não soube informar se o suspeito estaria sob efeito de drogas ao assassinar a namorada. Fonte: Portal Hoje em Dia Minas

2013/05/12

Em protesto, motoristas abastecem R$ 0,50 no cartão de crédito em MG

Protesto foi organizado pelas redes sociais em São Sebastião do Paraíso. Preço do litro de gasolina na cidade custa, em média, R$ 3,09 Insatisfeitos com o alto preço da gasolina, motoristas de São Sebastião do Paraíso (MG) arrumaram uma forma de protesto inusitada nesta sexta-feira (10). Em carreata nos postos de combustíveis da cidade, o abastecimento dos veículos foi de apenas R$ 0,50 pagos com o cartão de crédito. O protesto foi organizado pelas redes sociais. O preço do litro de gasolina em São Sebastião do Paraíso custa, em média, R$ 3,09, valor que desagrada muitos motoristas. “Depois do protesto nós já vimos alguns postos da cidade reduzindo o valor que chegava a R$ 3,20. Já podemos encontrar o preço da gasolina a R$ 2,94”, diz o professor Marcelo de Moraes. Em algumas cidades vizinhas a gasolina é mais barata. Em Passos (MG), o preço varia entre R$ 2,53 a R$ 2,99. Segundo o diretor regional da Minaspetro, Carlos Roberto Cavalcanti, o preço médio ideal da gasolina deve ser de R$ 2,99 a R$ 3,05, dependendo da localização de cada posto. FONTE: EPTV / VARGINHA

Lei proíbe Copasa de cobrar taxa de tratamento de esgoto em Alfenas, MG

Decisão foi tomada já que serviço não é oferecido em alguns bairros. Empresa está sujeita a multa de R$ 30 mil por dia caso não cumpra lei. Uma lei aprovada pelos vereadores e sancionada pelo Prefeito de Alfenas (MG) proíbe a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) de exercer a taxa de esgoto no município. A decisão foi tomada porque não existe tratamento de esgoto em alguns bairros da cidade. Na cidade, a taxa de esgoto é cobrada de duas formas. Nos bairros onde há tratamento, a população paga 90% de tarifa. Já nos locais onde não há, a taxa é de 50%. Para o procurador geral do município, Adauto de Oliveira, a cobrança é indevida. “A empresa tinha que oferecer a totalidade do tratamento na cidade”, afirma. Segundo a Copasa, a região dos bairros Vila Teixeira e Vista Alegre é a única em Alfenas que não recebe tratamento de esgoto. As obras deveriam ter sido entregues há cinco anos, mas até hoje elas não saíram do papel. O gerente da Copasa Ricardo César Bruno afirma que o atraso é devido a uma falta de convênio com a prefeitura, além da dificuldade em negociar áreas.Sobre a lei aprovada pela Câmara, o gerente diz que a Copasa ainda não foi informada, mas que vai recorrer da decisão. Já a prefeitura afirma que vai fiscalizar os novos valores das contas de água na cidade. Caso a lei não seja cumprida, a Copasa está sujeita a uma multa de R$ 30 mil por dia. A construção da única estação de Alfenas foi concluída, mas dois anos depois do prazo determinado. A prefeitura entrou na Justiça e a Copasa foi multada em mais de R$ 13 milhões. FONTE: G1 SUL DE MINAS

2013/05/02

Polícia Ambiental de Aiuruoca apreende arma de fogo e munições.

No dia 28 de abril de 2013, por volta das 10h30 na cidade de BOCAINA DE MINAS/MG, a equipe comandada pelo Sgt Rogério da Polícia Ambiental da Cidade de Aiuruoca, quando em patrulhamento desembarcado, mais precisamente na localidade conhecida como “Soberbo” (divisa entre os municípios Liberdade/MG e Bocaina de Minas), percebeu que dois indivíduos transitavam em uma motocicleta de alta cilindrada e de cor preta, no sentido Bocaina de Minas/Liberdade e retornaram de forma suspeita ao avistá-los. Usando do tirocínio policial a equipe visualizou que o passageiro transportava um volume aparentando ser material de pesca (vara de fibra) ou até mesmo uma espingarda, que se encontrava envolvida por um saco de preto. Imediatamente os militares embarcaram na viatura policial e deslocaram a fim de abordar os indivíduos. Ao aproximar da motocicleta (que se encontrava sem placa de identificação) no “Bairro do Barreiro”, município de Bocaina de Minas/MG o passageiro arremessou o volume anteriormente citado e um embornal com o intuito possivelmente de acertar a viatura ou até mesmo fazer com que os militares desistissem da abordagem, momento em que os militares verificaram se tratar de uma espingarda, seis munições de calibre .38, uma fisga e um embornal. Devido a parada para arrecadar o material arremessado, os militares perderam o acompanhamento visual dos cidadãos infratores em virtude da geografia acidentada do local. Novas diligências serão feitas no local do fato com intuito de localizar os cidadãos infratores. Equipe: Sgt Rogério, Cb Alex e Sd Erasmo.

Criação de pacas em Soledade de Minas evita caça predatória e gera renda para produtor rural

As pacas são alimentadas com frutas agroecológicas produzidas por meio de supervisionamento da Emater-MG. A alimentação baseada em frutas torna a carne do animal mais macia e saborosa. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) acompanha o produtor rural Adilson Campos Pimenta em sua criação de pacas, na Fazenda Floresta, em Soledade de Minas, na Região Sul do estado. Pimenta tem licença do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para criar e comercializar pacas. O animal silvestre é o segundo maior roedor do Brasil, perdendo apenas para a capivara. Sua carne tem público certo que pode comprá-la de criadores autorizados, que garantem a procedência, e que não precisam mais recorrer à caça predatória. Em Minas Gerais existem apenas quatro criadores de pacas legalizados. Autorizados pelo Ibama, os criadouros permitem que os apreciadores da carne de animais silvestres da fauna brasileira, como a capivara e a paca, possam saboreá-la em bons restaurantes brasileiros. E a produção de Adilson Pimenta é destinada para o melhor restaurante de São Paulo, o D.O.M. , do chef Alex Atala, eleito o 4o melhor do mundo pelo “The World's 50 Best Restaurante's”, da revista inglesa “Restaurant”. No D.O.M. um prato de 120 gramas de carne de paca custa R$400. A criação de pacas de Pimenta tem uma história interessante. Começou por acaso. O produtor conta que um amigo criava dois casais de pacas em casa, no município de Caxambu. Como este amigo estava com a saúde fragilizada, e não poderia cuidar delas, resolveu doá-las para Pimenta. Os animais se reproduziram e foi necessário transportá-los para a Fazenda Floresta, propriedade do criador, no bairro Taboão, em Soledade de Minas. Como o produtor mora em Caxambu e cria as pacas em Soledade de Minas, recebe assistência da Emater-MG das duas cidades. Na atividade iniciada há 20 anos o produtor cria 300 pacas. Adilson Pimenta é acompanhado pelos extensionistas Marcos Antônio de Morais, de Soledade de Minas e, André Henriques, de Caxambu. Segundo avalia Marcos Morais, com a criação de pacas o produtor rural evita a caça predatória. “Atualmente, a criação de animais silvestres com objetivo de mercado, como é o caso da paca, é apontada como uma das alternativas para preservar algumas espécies da fauna brasileira, especialmente as espécies que sofrem com a caça e a destruição de seus ambientes, o que pode levar a sua extinção”. Os animais não são abatidos na fazenda. São vendidos vivos, com um ano de idade, depois de ser bem alimentados com frutas agroecológicas da própria fazenda. Lá o produtor tem muitas frutas. Tem 8.500 pés de banana, 250 de abacate, 80 de lichia, 300 de pessegueiros, 200 de goiabas e oito de lima, “que quase não é usada, porque frutas ácidas não são boas para as pacas”, informa o produtor. Com a diversidade de frutas agroecológicas, nunca falta frutas para os animais, “ se não tem uma, tem outra”. Além das frutas, cada uma das pacas é alimentada com 500 gramas de farelo de trigo misturado com sal fino comum. “Eu só indicaria a criação de pacas para alguém que tenha muita fruta, porque é o principal alimento delas”. De acordo com o produtor, a fruta preferida das pacas é a banana. As 300 pacas consomem mil bananas por dia. E para ter fruta sempre, o produtor diz que “as consultas técnicas da Emater-MG são muito importantes, principalmente no bananal e nos pessegueiros; primeira e segunda frutas mais consumidas pelas pacas”. Produtor tem conhecimento prático que surpreende técnicos O técnico da Emater-MG, Marcos Morais, informa que no acompanhamento de mercado, uma paca viva de seis quilos custa R$500. E um quilo de paca abatida em São Paulo chega a valer R$80. Porém, para se dar bem neste mercado restrito, um produtor tem muita coisa para aprender. Segundo o extensionista, neste segmento, “não tem nenhum técnico que conhece de criação de pacas como o produtor de Soledade de Minas”. Segundo Morais, “ele tem o conhecimento prático que nenhum técnico tem. Foi aprendendo na medida que sua produção foi crescendo, observando o comportamento do animal, a comida, até chegar a uma alimentação ideal, obtendo um produto de qualidade. O nosso papel se restringe na produção agroecológica das frutas que alimentam as pacas”. Sobre o comportamento do roedor, o produtor rural explica que quando estão soltos na natureza, eles vivem em tocas. Por isso, os viveiros têm que ser mais escuros e de cimento, já que elas têm o hábito de cavar. “É necessário pelo menos um metro quadrado por animal”. Ainda, segundo o produtor, os roedores têm costume de tirar um cochilo durante o dia. “Quando estão acordados, são bem ariscos e ágeis. Às vezes podem se tornar agressivos, principalmente quando alguém se aproxima de uma mãe com filhote”. O animal pode chegar a 70 centímetros de comprimento e pesar até 10 quilos. Pimenta diz que “o mercado de pacas exige carne boa”. Segundo ele, “os animais alimentados com frutas agroecológicas tem carne com pouca gordura, rica em cálcio e fósforo”. O produtor explica que o ideal é vender o roedor com até um ano de idade, período em que a carne é mais macia”. Tanto o técnico da Emater-MG e o produtor acham o gosto da carne de paca parecida com a de porco. “Mas, prefiro criar do que comer as pacas”, declara o produtor. De acordo com o criador, para obter lucro um produtor precisa ter ao menos 300 matrizes. E, para início da criação é preciso ter muitas árvores frutíferas. “Se precisar comprar frutas, terá prejuízo”, adverte. Outro dado importante é que a paca só tem duas gestações por ano e nasce um filhote de cada vez. “São quase seis meses de gestação e poucos filhotes. Destas gestações nascem 50% de fêmeas e os 50% de machos são destinados ao mercado”. Antes criar pacas, Pimenta era comerciante no ramo da construção civil. Aposentou. Deixou o negócio para os filhos. Agora, depois de 20 anos de prática, com experiência adquirida, tem recebido muitas visitas. “ Estou muito satisfeito, tem muita gente vindo aqui para conhecer o trabalho. A produção de pacas virou um ponto turístico em Soledade de Minas”. Marcos Morais avalia, em primeiro lugar, que a produção controlada pelo Ibama é importante para a preservação da espécie. “Para iniciar a produção é preciso adquirir matrizes de outros produtores. Sem a licença do Ibama é proibido manter estes animais em cativeiro”. Além disso, “ tem toda uma questão ambiental para legalizar a produção. Não é fácil conseguir, mesmo porque o mercado de consumidores de carne de pacas é restrito”. Segundo ele, “o cidadão que quer comer carne de paca tem hoje a opção de comprar na fazenda, evitando a caça predatória destes roedores”. Assessoria de Comunicação da Emater-MG

Arma de fogo e munições são apreendidas

No dia 28 de abril de 2013, a Polícia Militar de Meio Ambiente de Ouro Fino realizando patrulhamento contra a peca/caça predatória, no bairro Caneleiras em Ouro Fino, abordou um cidadão que portava em sua cintura uma arma de fogo tipo Pistola, marca Taurus, calibre. 380, a qual estava municiada e carregada com 13 cartuchos intactos em seu carregador. Foi dada voz de prisão em flagrante delito ao mesmo e realizado deslocamento até sua residência, onde foram encontradas mais 31 munições de cal. 380 intactas e 35 munições de calibre 38, todas intactas. O autor apresentou o registro da pistola Taurus. 380 em seu nome, sendo apresentado também o porte, vencido desde 08/04/1997, ambos emitidos pela Polícia Científica do Estado de São Paulo. Diante do exposto a arma foi apreendida juntamente com o registro, porte e as munições, sendo encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil em Pouso Alegre, juntamente com o autor, para as demais providências. Foi registrado boletim de ocorrência por porte ilegal de arma de fogo. Assessoria de Comunicação Organizacional da 17ª Cia PM Ind MAT Paz no Trânsito, Natureza Viva.

SEJA BEM VINDO

Prezado amigo(a), para nós é uma satisfação a sua visita em nosso blog. Este blog é uma amostra das matérias que circula no Jornal Sul Mineiro. Nas coberturas do Sul Mineiro sempre daremos uma nota aqui. O Jornal Sul Mineiro, Turismo, Negócios e Informações, está na região desde de 2002, ou seja, 10 anos, fazendo um trabalho transparente, honesto e com credibilidade. Tive ao meu lado a minha filha Juliana que foi minha Secretária no início que me ajudou muito. Hoje conto com o apoio enorme da minha esposa Rosy que é Secretária Executiva. O jornal nestes 10 anos sobreviveu graças o apoio das Prefeituras, Câmaras Municipais e Comerciantes, pois o Sul Mineiro é distribuído gratuitamente aos leitores. Sempre procuramos oferecer nossos serviços com transparência e honestidade. Por isso agradecemos sua visita e pedimos que sempre dê uma olhadinha em nosso blog para conferir as novidades.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
BAEPENDI, sudeste/Minas Gerais, Brazil
LOJA DE NOIVA COMPLETA
Ocorreu um erro neste gadget