2013/01/25

Poços de Caldas tem dívida de R$ 104 milhões .

Um relatório apresentado nesta terça-feira (22) pelo prefeito eleito de Poços de Caldas (MG), Eloísio do Carmo, e o secretário de Fazenda do município, Edalmo Rangel, aponta que a atual administração herdou uma dívida de R$ 104,760 milhões. Metade desse valor deve ser paga ao INSS e a fornecedores. Segundo Rangel, a dívida fundada da prefeitura chega a R$ 54 milhões. Essa parte já foi parcelada e deve consumir cerca de R$ 900 mil por mês da prefeitura. Além desse valor, o município ainda tem outros R$ 7 milhões devidos ao INSS e R$ 43 milhões que devem ser pagos a 1,3 mil fornecedores contratados durante o ano passado. O prefeito classifica a situação financeira do município como muito grave e diz que o momento requer corte de gastos. "Nós já tomamos uma série de medidas em todos os setores e serviços, como contenção de horas extras por exemplo”, afirma. O ex-prefeito de Poços de Caldas, Paulo César Silva, informou que o valor parcelado soma R$ 51 milhões. Segundo ele, é uma dívida fundada, que são empréstimos e parcelamentos feitos por outros prefeitos. Sobre o restante da dívida, Silva disse que tem parcelamentos do INSS, mas que deixou em caixa R$ 21 milhões. “Acredito que a dívida deixada pela minha administração gire em torno de R$ 11 milhões”, afirma. Durante a coletiva desta terça-feira, o prefeito também falou sobre a transferência de dinheiro do Departamento Municipal de Eletricidade (DME) para a prefeitura. Em uma assembleia extraordinária, no final de dezembro do ano passado, a diretoria do DME autorizou a redução de capital do departamento e, consequentemente, o repasse de R$ 25 milhões para o município. A medida atendeu a uma determinação do ex-prefeito que, neste decreto, permitiu a redução do capital social da empresa, que pertence ao município. Com isso, o valor caiu de R$ 480 milhões para R$ 455 milhões. “Essa diferença de R$ 25 milhões pode ser muito útil para o pagamento de parte das dívidas. É um valor muito significativo”, diz. O prefeito disse que já está fazendo um trabalho para saber qual a melhor forma de utilizar o repasse do DME, mas afirmou que vai consultar a procuradoria municipal para analisar a legalidade dessa transferência. Fonte: G1 Sul de Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA BEM VINDO

Prezado amigo(a), para nós é uma satisfação a sua visita em nosso blog. Este blog é uma amostra das matérias que circula no Jornal Sul Mineiro. Nas coberturas do Sul Mineiro sempre daremos uma nota aqui. O Jornal Sul Mineiro, Turismo, Negócios e Informações, está na região desde de 2002, ou seja, 10 anos, fazendo um trabalho transparente, honesto e com credibilidade. Tive ao meu lado a minha filha Juliana que foi minha Secretária no início que me ajudou muito. Hoje conto com o apoio enorme da minha esposa Rosy que é Secretária Executiva. O jornal nestes 10 anos sobreviveu graças o apoio das Prefeituras, Câmaras Municipais e Comerciantes, pois o Sul Mineiro é distribuído gratuitamente aos leitores. Sempre procuramos oferecer nossos serviços com transparência e honestidade. Por isso agradecemos sua visita e pedimos que sempre dê uma olhadinha em nosso blog para conferir as novidades.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
BAEPENDI, sudeste/Minas Gerais, Brazil
LOJA DE NOIVA COMPLETA

National Geographic POD